Conteúdo

Distressed assets: como lucrar com ativos especiais e empresas em crise no Brasil

Uma das vantagens de investir em distressed assets e ativos especiais é o seu grande potencial de valorização. Esses investimentos seguem uma série de instruções básicas para lucrar: comprar barato e vender caro. Isso é o que todo investidor busca, não é mesmo?

Ao investir em um ativo distressed por um valor reduzido, qualquer ganho dessa reestruturação já trará um bom retorno. Além do mais, por se tratar de um ativo distressed, ele já passou por toda a desvalorização que poderia. Isto é, o potencial de upside é expressivamente maior do que o potencial de queda.

Independentemente de qual seja o seu objetivo, o investimento em ativos especiais, como compra de imóveis em leilão, é um dos melhores investimentos que você pode fazer, por exemplo.

Sendo assim, continue a leitura e saiba como lucrar com ativos especiais e empresas em crise no Brasil. Acompanhe!

Origem distressed assets investing

Distressed assets investing diz respeito a métodos para extrair valor de um cenário onde todos enxergam dificuldades e riscos, como empresas em crise, crédito em default, direitos creditórios de processos legais, entre outros. 

Este mercado surgiu nos anos 80 durante a crise dos saving banks americanos. Após a quebra dos bancos, surgiram oportunidades para investidores comprarem ativos de instituições financeiras (créditos e imóveis) mais baratos e lucrar até 4 vezes com os investimentos realizados.

O mercado prosperou e bancos de investimentos tradicionais construíram desks de distressed assets com equipes empenhadas a caçar oportunidades para investir em situações de alto risco, de modo a lucrar na possível recuperação.

Distressed assets e ativos especiais em tempos de crise

O setor de distressed assets identifica empresas em crises, mas que ainda estão atuando e são passíveis de recuperação. Investidores acostumados a investir em ativos especiais sabem que o valor do prêmio tende a ser acima da média. Isso acaba compensando o risco elevado. 

Entre as causas que aumentam a oferta de distressed assets estão a depreciação da empresa em momentos de crise como a que vivenciamos durante a pandemia. Alguns outros motivos para essa depreciação que podemos citar, são:

  • fluxo de caixa reduzido;
  • problemas de administração;
  • incapacidade de atender adequadamente seu público-alvo.

Em épocas de crise, é possível adquirir participações nessas empresas a preços mais baixos.

Muitas empresas que passam por essas situações não conseguem mais acesso ao crédito convencional. Por isso, utilizam os recursos captados por fundos distressed como uma saída para a manutenção de suas atividades.

Atualmente, setores como hoteleiro, restaurantes e viagens estão entre as principais ofertas de distressed assets em função da crise mundial.

Diante dos riscos altos em negociações de distressed assets, é cobrado um valor elevado pelas operações. Sendo assim, a rentabilidade para os investidores é acima da média se comparado aos investimentos tradicionais.

Portanto, investir em ativos especiais é uma oportunidade que pode trazer muito retorno, porém exige paciência e diversificação. 

Isso porque a empresa da qual a dívida será adquirida estará em meio a processos judiciais que podem durar meses ou até anos para ser finalizado. Assim, também é importante contar com uma assessoria jurídica ao investir nesses ativos.

Como lucrar com ativos especiais

Ativos especiais e empresas em crise e em recuperação judicial são conhecidas por muitos como excelentes oportunidades de bons montantes graças a valorização dos ativos. 

Isso acontece porque, em meio a processos de recuperação com ativos estressados, o investidor tem a oportunidade de realizar investimentos por preços baratos e caso o empreendimento sobreviva, vendê-lo com lucro após valorizações significativas.

Entre os benefícios desse investimento estão:

  • maiores taxas de rentabilidade do mercado;
  • quando o leilão é realizado por uma empresa de confiança, oferece baixo risco;

Como vimos acima, os ativos distressed tem a máxima de comprar barato e vender caro. Apesar de ativos arriscados, possuem um elevado potencial de lucro. Assim, é uma atividade que prospera principalmente nos momentos de crise econômica. 

Conclusão

Empresas em crise e ativos especiais são boas oportunidades de multiplicação de capital. 

A base dessa modalidade de investimento é aproveitar momentos de crise para adquirir ativos com bons fundamentos e preços baixos.

Os distressed assets proporcionam algumas proteções aos investidores, prevenindo-os de responder às obrigações do devedor, como passivos tributários ou trabalhistas. Porém, vale ressaltar que não é um mercado para principiantes.

Diante do cenário atual, mais arriscado por causa da crise, é importante conhecer cada vez mais instrumentos para diversificar sua carteira e alavancar seus investimentos.

Nesse texto você aprendeu como lucrar com investimentos em distressed assets e ativos especiais. Quer saber mais sobre esse modelo de investimento? Entre em contato com a equipe da Mazzottini Advogados Associados e tire todas as suas dúvidas!

Conteúdos Relacionados

O avanço do mercado de distressed assets e a necessidade de revisitar velhos temas

A alta do mercado de distressed assets no Brasil ensejará não só o desenvolvimento de novas teses e precedentes, como também reafirmará matérias há muito pacificadas, que somente agora têm se tornado corriqueiras aos julgadores ao longo dos Tribunais pelo país. É notório que há em plena expansão no país um complexo ecossistema voltado a aquisições dos chamados distressed assets, estando cada vez mais comum

+

Ativos judiciais: a importância da análise jurídica

Em linhas gerais, os distressed assets – ativos alternativos, ativos estressados, special situations, ativos imobiliários estressados, legal claims ou qualquer outra denominação – podem ser classificados como ativos que trazem, em sua essência, algum tipo de stress em razão do vencimento, da inadimplência e, em sua larga maioria, da sua judicialização. Todos esses detalhes fazem com que os distressed assets se tornem um ativo de

+
× Como posso te ajudar?